T

Tarifa Convencional – Grupo
Estrutura caracterizada pela aplicação de tarifas de consumo de energia elétrica e/ou demanda de potência independentemente das horas de utilização do dia e dos períodos do ano. Ver Tarifa de Energia Binômia.

Tarifa de Energia
É o preço da unidade de energia elétrica expressa em função de kWh consumidos e/ou da demanda de potência ativas que recai sobre uma unidade consumidora. Ver Unidade Consumidora; Consumo de Energia e kWh ( Quilowatt-hora ).

Tarifa de Energia Binômia – Grupo
Conjunto de Tarifas de fornecimento constituído por preços aplicáveis ao consumo de energia elétrica ativa e à demanda faturável. Ver

Tarifa de Energia Monômia – Grupo
Conjunto de tarifas de fornecimento de energia elétrica constituída por preços aplicáveis unicamente ao consumo de energia elétrica ativa. Ver Energia Ativa e Energia Reativa.

Tarifa de Ultrapassagem
Tarifa aplicável sobre a diferença positiva entre a demanda medida e a contratada, quando exceder os limites estabelecidos.

Tarifa Horo-Sazonal Azul – Grupo
Modalidade estruturada para aplicação de tarifas diferenciadas de consumo de energia elétrica de acordo com as horas de utilização do dia e os períodos do ano, bem como de tarifas diferenciadas de demanda de potência de acordo com os horários de ponta (dias úteis) e fora ponta (quaisquer dias). Ver Tarifa de Energia Binômia.

Tarifa Horo-Sazonal Verde – Grupo
Modalidade estruturada para aplicação de tarifas diferenciadas de consumo de enegia elétrica de acordo com as horas de utilização do dia e os períodos do ano, bem como de uma única tarifa de demanda de potência. Ver Tarifa de Energia Binômia.

Temperatura Ambiente
Temperatura do ar ou de outro meio no qual um componente da instalação elétrica é previsto para ser instalado. Ver Acúmulo de Calor; Joule; Isolação Térmica e Densidade de Potência.

Temperatura de Cor
É a grandeza que expressa a aparência de cor de uma fonte de luz. A escala das temperaturas de cor segue a ordem crescente de “luz quente” para “luz fria”. À partir do experimento com o corpo negro ( radiador de Plank ), foi definida uma escala relacionada ao efeito térmico e a aparência da luz visível deste corpo. Não confundir com temperatura térmica, sensação de calor e frio e nem com IRC (Índice de Reprodução de Cores). Unidade de medida Kelvin, Simbolo K. Ver Kelvin; Corpo Negro ( Radiador Plank ); Temperatura de Cor Correlata ( TCC ); Luz Fria; Luz Quente e Young-Helmholtz.

Temperatura de Cor Correlata ( TCC )
À temperatura de cor medida num corpo negro ( radiador de Plank ), é realizada pelo implemento de calor causando a incandescência deste corpo até sua fusão. Este experimento definiu a escala de temperaturas de cor, medidas em graus Kelvins, pela aparência da luz. Portanto, numa escala estendida e correlata, TCC é entendida como a temperatura de cor absoluta, cuja cor percebida se assemelha ao mais próximo possível com aquela apresentada pela fonte luminosa incandescente. Neste sentido, as fontes de luz distintas da incandescente que atuam por descarga elétrica (fluorescentes; Vapor Mercúrio; Vapor Metálico e Vapor de Sódio), tem sua aparência de cor definida pela TCC. Ver Temperatura de Cor; kelvin; Corpo negro ( Radiador de Plank ); Aparência da Luz; Young-Hemholtz; Luz ( Espectro Visível ); Cor Percebida e Descarga Elétrica.

Temperatura de Trabalho
É uma faixa de temperatura térmica em que um dispositivo elétrico pode operar mantendo suas características funcionais. Ao ultrapassar os limites estipulados pelo fabricante, estarão comprometidos: os circuitos elétricos; a funcionalidade, e a própria integridade do produto. Ver Acúmulo de Calor; Grau de Inflamabilidade; Medidas de Ensaio e Valor de Ensaio.

Tensão de Trabalho
Valor de tensão à qual os contatos estão sujeitos quando algum aparelho elétrico é alimentado na tensão nominal, sob condição de utilização normal ou de falha provável de alguns de seus componentes. A faixa limite de variação aceitável de tensão, normalmente é da ordem de +/- 10%, para não comprometer a integridade de um equipamento elétrico. Ver Tensão; Tensão Nominal; Medidas de Ensaio; Sobretensão; Subtensão; Surto de Tensão e Estabilizador de Tensão.

Tensão Elétrica
Unidade de grandeza escalar que determina a diferença de potencial entre dois pontos. A tensão elétrica regular é o ideal num circuito para manter a integridade de funcionamento dos diversos equipamentos elétricos. Devido a ocorrência de flutuações de tensão, todos os equipamentos são afetados causando defeitos e/ou queima prematura. O contato com condutores ligados a rede sem isolamento e de diferentes tensões, provoca curtos circuitos. Unidade de medida Volt, símbolo V. Ver Volt; Sobretensão; Subtensão; Surto de Tensão; Estabilizador de Tensão; Circuito Elétrico e Choque Elétrico.

Tensão Nominal
Tensão atribuída a um aparelho pelo seu fabricante e que serve de referência para o projeto, o funcionamento e a realização dos ensaios de laboratório. Ver Tensão; Tensão de Trabalho; Sobretensão; Subtensão; Surto de Tensão; Estabilizador de Tensão e Medidas de Ensaio.

Tensão Primária de Distribuição
Tensão disponibilizada no sistema elétrico da concessionária com valores padronizados superiores a 2300V.

Tensão Secundária de Distribuição
Tensão disponibilizada no sistema elétrico da concessonária com valores inferiores a 2300V.

Terminal
Parte condutora de um dispositivo elétrico com o qual se conecta um condutor correspondente a um circuito elétrico externo.

Termostato
Dispositivo de acionamento por sensibilidade térmica, podendo ligar, desligar equipamentos diversos ou até regular seu funcionamento através da temperatura.

Terra
Massa condutora da terra cujo potencial elétrico, em qualquer ponto, é convencionalmente considerado igual a zero. Ver Aterramento e Haste de Aterramento.

Transformador
Equipamento elétrico estático que, por indução eletromagnética, transforma tensão e corrente alternadas entre dois ou mais enrolamentos sem mudança de frequência. Ex: Os transformadores para lâmpadas halógenas de 12V, são do tipo “abaixador”, pois a tensão do enrolamento primário (127V ou 220V) é superior à do enrolamento secundário (12V). Ver Tensão.

Transformador Eletrônico
Conceito mais moderno de dispositivos de acendimento de lâmpadas de baixa tensão como as lâmpadas halógenas de 12V e as lâmpadas dicróicas.Composto básicamente por componentes eletrônicos tipo: diodo; resistores; filtros entre outros. Principais vantagens: São silenciosos; devido seu funcionamente ser em alta frequencia; mais compactos; mais leves; emitem menos calor no ambiente; consomem menos energia e possuem vida útil elevada.

Transmitância
É a razão entre o fluxo luminoso transmitido e o incidente. É a passagem do raio luminoso através de um meio físico, sem alteração de seu espectro. Ao passar através do material, o raio luminoso sofre uma perda por absorção. Parte do raio se transmite e outra parte se converte em calor. Ver Absorção; Acúmuo de Calor e Reflexão.

Localização

R. Ari Barroso, 203
Parque Boa Vista I
D. de Caxias
RJ, 25085-480

Telefones


(21) 25 16-5630
(21) 3842-6005
(21) 3842-6006

Redes Sociais

Siga-nos

Email


contato@mercolux.com.br

comercial@mercolux.com.br

MERCOLUX Todos os direitos reservados. Desenvolvido por INFINITY MARKETING